Desabafo de uma esquerdista

Quanto coisa mudamos desde 2002, quanta coisa avançamos.  Mas muita coisa não mudou, ainda. A saúde continua uma vergonha,  eu sei, a segurança pública continua sem planejamento e investimento, a educação?  Caminhamos alguma coisa com a universalização do ensino público e só,  o ensino básico e fundamental continuam vergonhosos, e o que mais me entristece é saber que a única saída de verdade é uma educação que funcione. Mas a educação tbm não caminha só,  a saúde tem de funcionar, a segurança, tem de ter emprego e assistencialismo também. É,  pra vc que torce o nariz contra o assistencialismo e é classe média,  não pode recusar os avançamos que tivemos desde a revolução industrial e tentativas do comunismo ou socialismo, que nunca foram aplicadas sem qualquer resquício do capitalismo. Ou trabalhariamos hoje 18h sem parar, sem direitos a horário de almoço ou qualquer auxílio transporte e alimentação.  Em fim, há sempre muito a se ganhar quando se divide o pão. O que vivemos hoje, felizmente ou não,  é a queda da esquerda da América do Sul. Eles já contribuíram com que puderam e atrapalharam muito no que conseguiram. Chega. Por isso sou contra a reeleição sempre. Cada um tem de dar sua parcela de contribuição e dar lugar a outro, avançando em algum ponto. Ah, mas houve o maior roubo da história,  que bom que descobrimos e temos a chance de prendê los. Quantos roubos se passaram, quantas investigações foram jogadas pra baixa do tapete, quantos crimes sob o tráfico de influência. Ah e o Lula, votei nele desde os meus 16 anos. Me arrependo? Não. Votaria de novo? Não. Foram momentos e razões diferentes. E as manifestações?  Que bom que as pessoas foram pras ruas, mas ainda precisamos amadurecer, pensar na política como um grande cenário de show de horrores, onde tudo é possível e não podemos nos refutar. Temos de pensar num todo, estabelecer metas, propostas, lutar por um ideal. Sem ser levado pela espetacularização do coletivo midiático. Quais são as consequências de nossas ações?   Precisamos de uma revolução, tá tudo errado nesse país,  tem corrupção com os servidores dos hospitais,  da escola, tem corrupção no trânsito,  nas filas e deixemos de ser hipócritas, em nossas casas. Eu não quero mais Lula, nem Aecio,  nem Temer, nem Cunha e nem sei também se quero Bolsonaro... mas ele representa a nossa paciência no fim, com a falta de respeito ao que é público, ao cidadão que trabalha e paga seus impostos. E chegar no extremo nos retira certa racionalidade. E estou muito preocupada com o futuro, pois perdi um rumo,  um ideal , a fé no que podia ser a salvação e não foi. Nem quero outro mártir,  quero deputados que atuem sem interesse particular ou interesse de terceiros que exerça influência sobre ele, quero gestores competentes,  menor na escola de qualidade,  ladrão na cadeia, assassino pagando com a própria vida, médicos que pensem primeiramente em salvar vidas, leis que funcionem, enfim,  se algo não estiver dando certo quero o poder de trocar, de mudar as peças.  E isso nós temos, aconteça o que acontecer. Eu posso acreditar em outro, queria é poder confiar.

Comentários